Páginas

segunda-feira, 6 de abril de 2015

Tal pai, tal filho

Em 1980 foi o pai. Agora, é o filho. Mais um a mandar a trupe do tio Bernie
às favas! (foto: Getty Images)
Fim de semana entre o céu e o inferno, se tratando de esporte a motor.

As más notícias vieram, adivinhem de onde? Exato: da CBA.

Seus regulamentos esdrúxulos que dão margem a um monte de interpretação quase botaram a etapa de Ribeirão Preto em segundo plano. Começou com o caos na classificação, passou pelo esquecimento da fiscal de prova de acionar a bandeira quadriculada para Cacá Bueno e Marcos Gomes, continuou no lenga-lenga sobre a troca ou não de pneus de chuva para os slicks (a pista já estava seca) e terminou na punição aos pilotos da RC por terem trocado.

Chega, né, CBA? Tá na hora de fazer algo de útil pelo esporte que você diz representar.

Eu disse "quase pôs a perder" porque pelo menos na pista a corrida foi muito boa. Cacá Bueno quebrou um jejum de quase dois anos e Tuka Rocha venceu a primeira na categoria.

Pelo menos duas boas notícias. A primeira, diretamente de Nogaro. O carro #77 da equipe BMW brasileira que corre no Blancpain GT Series foi ao pódio na etapa de abertura. Maxime Martin e Dirk Muller (que substituíram nesta prova a Valdeno Brito e Átila Abreu) chegaram bem perto dos vencedores Stephanie Ortelli e Stephane Richelmi, da Audi. É um alento, com certeza.

Mas o melhor ficou para o sábado.

Há 35 anos, Nelson Piquet vencia pela primeira vez na Fórmula 1 correndo em Long Beach. Pois bem, neste fim de semana, Nelsinho Piquet repetiu tal feito e venceu pela primeira vez na Fórmula E exatamente na pista californiana.

Neste caso não é só um alento. É uma excepcional notícia, se tratando de uma categoria que cresce a cada dia e que mostra que veio pra ficar. Para completar a festa tupiniquim, Lucas di Grassi foi o terceiro e reassumiu a liderança do campeonato, um ponto à frente de Piquet.

Para um piloto que saiu defenestrado da Fórmula 1, depois de bater de propósito para ajudar Fernando Alonso em Cingapura - e dedurar a equipe após ser demitido injustamente na Hungria, o filho do tricampeão mundial mostra que aos poucos dá a volta por cima: primeiro brasileiro a vencer na Nascar e, agora, fim de jejum na F-E.

Boas voltas que o mundo dá.

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google+ Adicionar ao Tumblr Adicionar ao Linkedin Adicionar ao Blogger Adicionar ao Wordpress Enviar por e-mail Imprimir

Nenhum comentário:

Postar um comentário

OBS: Comentários anônimos serão excluídos. Para inserir o seu nome, basta clicar em "Nome/URL". Não é necessário preencher o campo URL caso não tenha!

No lugar do nome, podem colocar o Twitter, o e-mail ou o site pessoal. Mas não pode ficar anônimo!