Páginas

terça-feira, 24 de junho de 2014

Eles, de novo!

Fernandinho chuta de bico para fazer o quarto gol: e que venham as
oitavas de final! (foto: Jefferson Bernardes / VIPCOMM)
Mais uma vez, as oitavas de final reservam um duelo sul-americano. Brasil e Chile voltarão a se enfrentar nesta fase!

Grupo A:
Camarões 1 x 4 Brasil
Croácia 1 x 3 México

Grupo B:
Holanda 2 x 0 Chile
Austrália 0 x 3 Espanha

O temor, por um instante, tomou conta de Brasília. Saindo na frente com gol de Neymar, o Brasil sofreu o empate e por um momento parecia que os africanos, medalha de ouro nas Olimpíadas de 2000, tomariam conta do jogo e eliminariam o Brasil.

Rafa Marquez abre o placar contra a Croácia: vaga nas
oitavas! (foto: reprodução TV)
Felizmente, pela primeira vez em muito tempo, o time controlou os nervos e fez justamente o que se espera: descontrolou o adversário, que partiu para a porrada.

Aí o jogo ficou do jeito que o camisa 10 gosta: sendo provocado, ele respondia com chapéus e dribles desconcertantes. E foi numa maravilhosa jogada individual que Neymar marcou o segundo dele e do time na partida; seu quarto gol na Copa. Artilheiro até aqui.

Ao mesmo instante, México e Croácia se digladiavam em busca da segunda vaga. Os mexicanos, no segundo tempo, abriram 3 a 0 - com um show do zagueiro Rafa Marquez - no mesmo instante que Fred, enfim, marcava o seu - e olhando bem a jogada, percebe-se que ele quase errou a cabeçada! Mas não interessa. Enfim o atacante do Fluminense fez o que se espera de um camisa 9: gol.

O problema, até então, era: mais um gol mexicano e o Brasil cairia para a segunda posição e enfrentaria a Holanda. Mas a Croácia diminuiu, dando números finais em Recife: 3 a 1 e o México encara os atuais vice-campeões.

Fred, enfim, desencantou na Copa e fez o seu!!
(foto: Jefferson Bernardes / VIPCOMM)
Quase que na mesma hora do gol croata, Fernandinho marcou o quarto e praticamente selou sua vaga de titular no time, visto que Paulinho, mais uma vez, foi uma nulidade em campo.

Com o resultado, o Brasil enfrentará o Chile pela quarta vez na história das Copas. A seleção sul-americana fez um duelo absolutamente duro e equilibrado contra a Holanda.

Mas no segundo tempo, as substituições efetuadas pelo técnico Louis Van Gaal surtiram efeito. Fer e Depay marcaram os gols, o primeiro deles na jogada mais óbvia a se fazer contra os comandados de Jorge Sampaoli: bola aérea, afinal, o Chile tem a menor média de altura da Copa. A se destacar, também, a belíssima atuação de Robben, que parece não se cansar nunca.

Fer abre o placar para a Holanda: atuais vice-campeões
100% até agora! (foto: Danilo Verpa / Folhapress)
Ironias do destino: em 2002, Van Gaal era o técnico da Holanda - e a mesma não passou das eliminatórias. Robben foi considerado culpado pela derrota diante da Espanha, por perder dois gols na cara de Casillas. Este ano, ambos, juntos, têm a grande chance de, enfim, colocar a Holanda na lista dos campeões.

Mas não pensem que passar pelo México será fácil. Ainda mais quando a torcida estará em maioria para o time da terra do Ligeirinho.

No outro jogo do grupo, a Espanha, pelo menos, não saiu zerada da Copa. Mas foi só isso que valeu no jogo em que os atuais campeões derrotaram a Austrália por 3 a 0.

Quanto ao Brasil, bom... se superstição valesse alguma coisa, estaríamos lascados. Nas duas vezes que o Brasil encarou o time vermelho nesta fase de oitavas de final, saímos sem título (1998 e 2010). Só em 1962, ao derrotar o então país-sede nas semifinais é que levamos a taça.

Que venham os chilenos. Porque será um jogo de nervos à flor da pele.

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google+ Adicionar ao Tumblr Adicionar ao Linkedin Adicionar ao Blogger Adicionar ao Wordpress Enviar por e-mail Imprimir

Nenhum comentário:

Postar um comentário

OBS: Comentários anônimos serão excluídos. Para inserir o seu nome, basta clicar em "Nome/URL". Não é necessário preencher o campo URL caso não tenha!

No lugar do nome, podem colocar o Twitter, o e-mail ou o site pessoal. Mas não pode ficar anônimo!