Páginas

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Mostrou quem manda!

"O problema é levar o carro ao Parque Fechado? Tudo bem, deixa comigo.
Eu sei o que tô fazendo"! (foto: reprodução)
Se alguém tinha dúvidas, ele fez de novo!!

Sebastian Vettel sobrou em Abu Dhabi. Com autoridade, o tetracampeão venceu o GP dos Emirados Árabes e voltou a comemorar com os zerinhos que tanto causaram polêmica na Índia. Pelo menos, desta vez, não teve multa, já que ele levou o carro para o Parque Fechado - a punição na prova anterior foi dada sob esta justificativa.

E ainda emendou um "Eu sei o que tô fazendo". Tudo na brincadeira, claro. O vencedor pode!

Aliás, foi uma senhora vitória. Mais de 30 segundos de vantagem sobre seu companheiro de equipe, Mark Webber, que largou na pole, mas não durou nem mesmo até a segunda curva. Vettel sumiu na dianteira. E tem gente que ainda diz que ele só ganha por causa do carro...

Foi um fim de semana de afirmações. Ao vencer com tamanha vantagem e fazer os zerinhos após a bandeirada, o alemão mostrou que ele tem poder na categoria, afinal, os pilotos vivem sem a Fórmula 1. O contrário pode não acontecer.

Fora o passeio da Red Bull, outros três pilotos chamaram a atenção.

Nico Rosberg foi o terceiro colocado, incomodando muito a Mark Webber. Deixou Lewis Hamilton no chinelo e prometendo, ao menos, um 2014 muito bom para a Mercedes, junto com seu companheiro de equipe. Esqueçam a história dos 100 cavalos a mais no motor que algumas fontes não-oficiais andam divulgando. Só vai funcionar se o carro for bom.

Kimi Raikkonen teve um fim de semana para esquecer. Não bastasse a ameaça de nem viajar para o Oriente Médio, devido à dívida da equipe, que beira a casa dos 28 milhões de reais, o finlandês foi desclassificado do treino classificatório e largou em último. E por largar em último, acabou batendo em Charles Pic. Sobrou para a suspensão dianteira direita, que o deixou na mão. Mentes maldosas andaram afirmando nas redes sociais que ele bateu de propósito, tal qual Ayrton Senna em Suzuka/1990. Duvido. Por mais que seja louco, Raikkonen é campeão do mundo e tem - ainda - um nome a zelar.

Só faço uma crítica a quem está achincalhando a Lotus por tudo isso. Peraí, ele sabia que a equipe tinha problemas financeiros. E não vejo a preferência a Romain Grosjean como uma "facada pelas costas". Nada mais natural que uma dose extra de atenção seja dedicada a quem vai continuar na equipe. Foi assim com Jacques Villeneuve em 1996, com Ralf Schumacher em 1997, com Johnny Herbert em 1999 e com David Coulthard em 2001. O bate-boca com o engenheiro em Buddh foi apenas a gota d'água em uma relação que vinha estremecida desde Melbourne.

E o mais engraçado é que quem fala mal da Lotus defende a postura da Ferrari com Felipe Massa.

Aliás, o brasileiro foi um caso à parte. Correu com a faca nos dentes, trancou a porta de Fernando Alonso várias vezes durante a corrida e pilotou como deveria ter feito desde 2010. Porém, em mais um capítulo da série "acredite se quiser", um dos mecânicos PROPOSITADAMENTE atrasou a colocação da roda (ela já estava posta e foi tirada para se recolocada). Tal atraso foi determinante para que Alonso ganhasse a posição na pista.

Como se adiantasse algo, já que o espanhol terminou apenas em quinto.

Com a vitória, Sebastian Vettel chega aos 347 pontos no ano. Foi a sétima vitória seguida do alemão, que iguala seu conterrâneo Michael Schumacher. O recorde pode ser quebrado em Austin, no dia 17 de novembro.

E tomara que tenhamos mais zerinhos. Para mandar o conservadorismo babaca da FIA às favas!

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google+ Adicionar ao Tumblr Adicionar ao Linkedin Adicionar ao Blogger Adicionar ao Wordpress Enviar por e-mail Imprimir

Nenhum comentário:

Postar um comentário

OBS: Comentários anônimos serão excluídos. Para inserir o seu nome, basta clicar em "Nome/URL". Não é necessário preencher o campo URL caso não tenha!

No lugar do nome, podem colocar o Twitter, o e-mail ou o site pessoal. Mas não pode ficar anônimo!