Páginas

terça-feira, 20 de agosto de 2013

Preces ouvidas!

Final da Copa Ouro, em 2011, no Rose Bowl: palco de final da Copa
Libertadores no ano que vem? (foto: Jae C. Hong / AP)
Todos nós concordamos que o futebol é um esporte apaixonante e que muitos honram suas tradições. Mas um pouco de modernidade e "upgrade" não fazem mal!

O site Impedimento publicou uma matéria sobre a enorme possibilidade da final da Copa Libertadores ser disputada, a partir do ano que vem, em jogo único, a começar por Los Angeles. Claro que perde um pouco da tradição, mas como disse anteriormente, modernidade não mata ninguém.

Se der certo, na minha opinião, será genial!! Eu aguardo com ansiedade o dia que a Libertadores (e poderia também ser o Paulistão, a Copa do Brasil, a Sul-Americana e a Recopa) tiver final em jogo único.

O método é simples: escolhe-se um estádio DECENTE para a final (de preferência, antes do sorteio dos grupos), tem-se lotação máxima, porque a final pode ser tratada como um evento à parte (igual a UEFA Champions League), porque ela pode ser muito mais divulgada, estilo um, digamos, "Visa - Caminho para a final", parecido com o "Heineken Road to Final" da competição europeia.

Perderíamos um pouco da tradição? Sim. Mas se os clubes quiserem ficar em pé de igualdade com os europeus (e evitar mais vexames como os 8 a 0 do Barcelona sobre o Santos), a Conmebol tem que inovar. Então, por que não uma Libertadores unindo a América toda, com duas fases eliminatórias (como na Europa)? Mais ou menos assim:

País - Vagas diretas para cada país (24) - Vagas para pré-Libertadores para cada país (32)

Brasil e Argentina - 3 - 2
Uruguai, Paraguai e México - 2 - 2
Chile e Colômbia - 2 - 1
Estados Unidos, Equador e Peru - 1 - 2
Bolívia, Venezuela, Costa Rica e Honduras - 1 - 1
Panamá - 0 - 2
Nicarágua, El Salvador, Guatemala e Belize - 0 - 1

O atual campeão entraria direto na fase de grupos. O campeão da Sul-Americana, na repescagem. Ainda teríamos mais duas vagas para as equipes exclusivas do Caribe (poderia ser criado um torneio, nos moldes da Europa League) e mais uma ao campeão de uma espécie de "Copa Norte-Americana" (que pode ser criado pela Concacaf sem problemas, todas na repescagem.

As 32 equipes da pré-Libertadores disputariam duas fases de mata-mata, com os oito clubes "sobreviventes" se juntando aos 24 classificados diretamente à fase de grupos.

Precisaria de organização de calendário? Com certeza. Mas seria interessante!!

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google+ Adicionar ao Tumblr Adicionar ao Linkedin Adicionar ao Blogger Adicionar ao Wordpress Enviar por e-mail Imprimir

Um comentário:

  1. Grande Rodrigo! Tudo bem?
    Em termos de marketing e até mesmo esportivos, considero uma ótima ideia. Porém, penso que existam entraves econômicos para que esse formato de final seja bem sucedido em competições latino americanas.
    Todos sabemos das mazelas sociais que aplacam todos os países da América Latina, inclusive o nosso, mesmo com o destacado crescimento.
    Se com a crise, até para os europeus os deslocamentos para acompanhar jogos de clubes e seleções tem se tornado difícil, me pergunto qual seria o público alvo dessa medida no certame sulamericano e as respectivas lotações nos estádios. Não estaríamos apoiando mais uma forma de segregação?
    Abraço e parabéns pela escolha do tema para a discussão.

    ResponderExcluir

OBS: Comentários anônimos serão excluídos. Para inserir o seu nome, basta clicar em "Nome/URL". Não é necessário preencher o campo URL caso não tenha!

No lugar do nome, podem colocar o Twitter, o e-mail ou o site pessoal. Mas não pode ficar anônimo!