Páginas

terça-feira, 20 de agosto de 2013

Os menos culpados

Em uma imagem, o descaso do Brasil com o esporte
olímpico! (foto: Reuters)
O Mundial de Atletismo terminou no último domingo, em Moscou. Bolts e Isinbayevas à parte, o destaque negativo foi o Brasil não ter ganho nenhuma medalha.

Nenhuma. Zero!! Isso a três anos dos Jogos Olímpicos, no Rio de Janeiro.

Eu não me surpreendo, e acho que ninguém que tenha senso crítico também. A última derrota foi no 4x100 feminino, onde Vanda Gomes e Franciela Krasucki deixaram o bastão cair na última passagem, quando o Brasil caminhava-se para a prata.

Muitos culparam as atletas. Não deveriam jamais: "A gente passou 30 dias treinando mal e nos alimentando mal", declarou Vanda após a derrota. "Eu não treinei com a Vanda nesse período", afirmou Franciela.

A CBAt soltou uma nota desconhecendo qualquer problema na preparação. Quanta novidade...

Há tempos nossos atletas são os menos culpados por derrotas em competições olímpicas e mundiais. O Brasil não tem uma cultura voltada ao esporte (aliás, não tem cultura voltada à nada, só à roubalheira e à corrupção) e não incentiva as crianças desde cedo a praticar alguma coisa que não seja futebol. Sou testemunha disso, nos meus tempos de Ensino Fundamental, no Liceu Santista, o que me incentivou a pedir afastamento das aulas, visto que só perdia tempo com isso.

Daí, quando surge um abençoado, do nada, logo leva pecha de "salvador da pátria". E quando perde, é condenado por isso!! Inadmissível!

"Rodrigo, e o dinheiro que é mandado para a federação"? Bom, deve estar perambulando por aí, porque, com certeza, não está sendo aplicado da maneira correta.

Não cito aqui os campeões, como César Cielo, Diego Hypólito e Fabiana Murer. Esses vivem unicamente do esporte, possuem patrocínios pessoais e dispõem de uma equipe técnica de alto nível. Para esses, fazer bonito em competições é OBRIGAÇÃO e são esses, além do futebol masculino, que devem ser cobrados sempre.

O que é inadmissível é condenar um atleta que mal possui tênis para treinar, que é obrigado a fazer dupla jornada e que, por vezes, não possui dinheiro para viajar para as competições. Esses devem ser aplaudidos sempre.

Por isso que aberrações como a publicação da Folha de São Paulo, que postou a notícia e, logo depois, um #facepalm, é de envergonhar o país. É a velha mania de achar que só merece atenção e investimento aqueles que vencem. Fosse assim, não existia mais esporte no mundo todo. É isso que o torcedor deve entender.

Nos esportes olímpicos do Brasil, a culpa é de todos. Menos dos atletas. O que eles fazem para conseguir um espaço em campeonatos mundiais deve ser encarado como a glória extrema.

Acorda, COB! Acorda, Nuzman. Acordem, empresas! Acorda, Governo! Esse será o legado de 2016??

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google+ Adicionar ao Tumblr Adicionar ao Linkedin Adicionar ao Blogger Adicionar ao Wordpress Enviar por e-mail Imprimir

Nenhum comentário:

Postar um comentário

OBS: Comentários anônimos serão excluídos. Para inserir o seu nome, basta clicar em "Nome/URL". Não é necessário preencher o campo URL caso não tenha!

No lugar do nome, podem colocar o Twitter, o e-mail ou o site pessoal. Mas não pode ficar anônimo!