Páginas

segunda-feira, 22 de julho de 2013

Aula de mestrado

Marc Marquez brinca com os fotógrafos: motivos de sobra para
sorrir! (foto: motogp.com)
Em um fim de semana de luto pela morte de mais um piloto das duas rodas, a MotoGP desembarcou em Laguna Seca. E nela, Marc Marquez venceu de forma magistral, ampliando a sua vantagem no campeonato.

Foi a primeira vez que um estreante na pista da Califórnia venceu logo no seu primeiro ano. Afinal, nunca é demais lembrar que somente a MotoGP é que corre em Monterrey, ou seja, não tivemos Moto2 nem Moto3.

Valentino Rossi "surra" Marc Marquez, pela ultrapassagem
no saca-rolhas: troca de bastão! (foto: reprodução BBC)
A largada foi ruim, e o espanhol caiu para terceiro, atrás de Stefan Bradl e Valentino Rossi. Enquanto os três, mais Alvaro Bautista, formavam um grupo separado para lutar pela vitória, Jorge Lorenzo e Daniel Pedrosa brigavam acirradamente pelo quinto lugar.

Sim, vocês não leram errado. Durante o último programa Bandeirada, demos quase a certeza que ambos não voltariam nem mesmo em Indianápolis. Ledo engano. Os dois espanhóis estiveram na pista e, levando-se em consideração que eles não queriam cair de jeito nenhum, brigaram e lutaram como se nada tivesse acontecido. E é claro que os dois foram muito aplaudidos pelas suas equipes. Mereciam subir no pódio, sério.

Se bem que nesse fim de semana não teve estouro de champanhe, em homenagem a Andrea Antonelli, piloto italiano da Supersport (espécie de segunda divisão da Superbikes), que morreu após um acidente violentíssimo na etapa da Rússia.

Bom, lá na frente, Marc Marquez partiu para cima do multicampeão. E em uma manobra ousadíssima, o novato superou a lenda. Digamos que foi um "deja-vu" da mesma manobra que Valentino Rossi realizou em cima de Casey Stoner. Desta vez, foi o italiano que levou um passão. E aos críticos, chatos, ranzinzas, que ficaram enchendo o saco dizendo que "o Rossi jogou o Marquez para fora" e "o Marquez cortou caminho", eu respondo da mesma forma que o Erick Von Draxeler, nosso comentarista, responderia: foi uma disputa MÍTICA!!

Sequência da ultrapassagem de Marquez sobre Rossi: momento exemplar do campeonato! (foto: morogp.com)
Muitos simbolizaram a disputa como o marco da troca de "eras" da categoria: da era Rossi para a era Marquez. Não duvidem. A brincadeira do italiano, ao final da prova (simulando dar porrada no espanhol) resume bem como o heptacampeão encara com naturalidade a chegada de um outro piloto, igualmente arrojado e - o mais importante - igualmente carismático.

Ah, se o ultrapassado fosse o Lorenzo, o Pedrosa ou o Stoner...

Uma vez ultrapassado, Rossi passou a se preocupar com Alvaro Bautista, que vinha babando em busca de um pódio que começa a rarear para ele, coitado. Não conseguiu, é verdade, mas demonstrou que, enfim, a Gresini vai colocar sua moto Honda em condições de brigar, daqui para frente.

Depois do passão, Marquez foi para cima do alemão da LCR, que ponteava e buscava a primeira vitória da equipe na MotoGP (que diferença para 2011, quando Lucio Cecchinello era obrigado a aturar Toni Elias, hein?). O próprio Bradl ainda lutava pelo seu primeiro pódio desde que venceu a Moto2 em 2011. Pra variar, o espanhol da Repsol/Honda assumiu a liderança em um ponto onde ninguém esperava. Nem a TV, que perdeu a ultrapassagem!

Bradl comemora seu primeiro pódio no ano: mais que
merecido! (foto: enisports.com)
A partir daí, foi só administrar e vencer mais uma. A segunda vitória seguida. A terceira no ano. Marquez vai a 163 pontos, contra 147 de Pedrosa e 137 de Lorenzo. Mesmo em segundo, Stefan Bradl não tinha motivos para ficar triste. Afinal, subiu ao pódio pela primeira vez depois de muitas tentativas com final frustrante.

A se destacar, também, a disputa ferrenha dos pilotos da Ducati. Numa delas, Andrea Dovizioso perdeu o controle da moto e esbarrou em Nicky Hayden (ainda bem que o pedido de desculpas do italiano foi aceito). Mas nem por isso o americano sossegou. Chegou à frente e, pelo menos, teve uma alegria no fim de semana, já que a equipe anunciou que outro piloto ocupará o assento do campeão de 2006.

Outra briga interessantíssima foi a disputa pela vitória entre as CRTs. Com os abandonos da dupla da Aspar, a honraria coube a Hector Barberá, da Avintia Blusens, chegando inclusive à frente da Pramac de Alex de Angelis, chamado para substituir Andrea Ianonne. Tudo bem que era uma Ducati, mas é moto de fábrica, e isso só aumenta os parabéns pela prova realizada pelo espanhol.

Agora, a categoria entra em férias. Os motores só roncarão (assim como as belas grid girls só desfilarão com seus guardas-chuva) em Indianápolis, no dia 18 de agosto. Tudo bem que foram duas vitórias sem um duelo propriamente dito, já que Lorenzo e Pedrosa não estavam no melhor de suas condições físicas. Mas não muda o cenário: Marc Marquez é líder do campeonato.

Quem irá para-lo??

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google+ Adicionar ao Tumblr Adicionar ao Linkedin Adicionar ao Blogger Adicionar ao Wordpress Enviar por e-mail Imprimir

Nenhum comentário:

Postar um comentário

OBS: Comentários anônimos serão excluídos. Para inserir o seu nome, basta clicar em "Nome/URL". Não é necessário preencher o campo URL caso não tenha!

No lugar do nome, podem colocar o Twitter, o e-mail ou o site pessoal. Mas não pode ficar anônimo!