Páginas

quinta-feira, 4 de abril de 2013

Pátria "mãe gentil"??

O Arsenal quis confusão - e depois não aguentou o revide. Olho por olho,
dente por dente! (foto: EFE)
Foi um show! Uma exibição de gala! O Atlético-MG trucidou o Arsenal de Sarandi (uma espécie de Duque de Caxias argentino) com outra goleada por 5 a 2 (seria apenas um, se não fosse o peruzaço do goleiro Victor, no primeiro tempo).

Para variar, os argentinos vieram para brigar. No fim do primeiro, foram para cima dos atleticanos para arrumar confusão. Pelo menos eles não abandonaram o jogo após o intervalo. E voltaram para o segundo tempo.

Voltaram para ver Ronaldinho sendo o maestro de sempre, com direito a um golaço, de cavadinha. No fim do jogo, mais confusão. Desta vez, os rubrocelestes quiseram bater na Polícia - e bateram - que revidou com cassetetes e ainda levou alguns para um papo na delegacia.

Choveram críticas, principalmente pelo fato de alguns policiais portarem fuzis. Sim, sou totalmente contra armas dentro do gramado, até porque não há a necessidade. Mas achar ruim porque eles revidaram à violência dos jogadores argentinos?

Uma piolha!! Tinham mesmo que dar uns bons tabefes na fuça de cada um deles!

Antes que me acusem de xenófobo e alimentador do ódio, reitero aqui o que já disse antes: adoro a Argentina, tenho o maior respeito com os argentinos; sempre desejo que nosso povo, um dia, tenha metade da cultura, cordialidade e sede de justiça que eles têm; sou descendente de argentinos e considero-os muito mais educados que muitos paulistanos arrogantes que vêm para Santos só para sujar as praias, atrapalhar o trânsito e reclamar de tudo.

Mas não dá para admitir que uma atitude dessas passe despercebida.

Baderneiro tem em todo lugar, em qualquer país. O que me irrita é esse ar de "politicamente correto" com os estrangeiros. Já pararam para pensar que, se fossem os jogadores brasileiros que partissem para cima da Polícia da Argentina, do Uruguai ou do Paraguai, por exemplo, corríamos o risco de escrever sobre a morte de algum jogador?

Ou já se esqueceram do que os hermanos fizeram com o Emerson Leão, em 1997?

Os jogadores do Arsenal não tinham que ter sequer arrumado confusão, que dirá bater nos policiais. Na certa, acharam que nada aconteceria. Ledo engano.

Passou da hora de oferecermos tratamento igual aos nossos vizinhos. Só assim deixaremos de ser vistos como uma "pátria mãe gentil" para eles. Vamos ver se não muda o tratamento deles com a gente!

Afinal, o ser humano só aprende de duas formas: pelo amor ou pela dor!

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google+ Adicionar ao Tumblr Adicionar ao Linkedin Adicionar ao Blogger Adicionar ao Wordpress Enviar por e-mail Imprimir

2 comentários:

  1. Infelizmente o Arsenal voltou a manchar a história do futebol argentino. Time muito ruim. Discordo da comparação com o Duque de Caxias. Os cariocas são fracos, mas sabem perder. Se a Conmebol fosse séria, suspenderia por um bom tempo o Arsenal, assim como o Tigre que protagonizou cenas lamentáveis na final da Sulamericana em 2012. Abraços

    ResponderExcluir

OBS: Comentários anônimos serão excluídos. Para inserir o seu nome, basta clicar em "Nome/URL". Não é necessário preencher o campo URL caso não tenha!

No lugar do nome, podem colocar o Twitter, o e-mail ou o site pessoal. Mas não pode ficar anônimo!