Páginas

segunda-feira, 8 de abril de 2013

A entrega do bastão

Marc Marquez (93) e Valentino Rossi (46): duelo de gerações na abertura
da temporada! (foto: motogp.com)
Foi de encher os olhos!

A etapa de abertura da MotoGP, no circuito de Losail, no Qatar, proporcionou três excepcionais corridas. Um santo alento para quem esperava, de fato, uma temporada equilibrada e disputada. As principais previsões se confirmaram. Especialmente na categoria principal.

Tudo bem, Jorge Lorenzo disparou na ponta e sumiu do mapa. Venceu com uma tranquilidade que não deve se repetir ao longo do ano. Mas deixou claro que luta pelo bi. Junto com os outros dois que foram ao pódio com o atual campeão.

Marc Marquez e Valentino Rossi. Muitos dirão que foi o duelo do passado contra o futuro da categoria. O fato é que a disputa entre ambos pela segunda posição (quando os dois já tinham deixado Daniel Pedrosa, Stefan Bradl e Carl Crutchlow para trás) atraiu todas as atenções, do público, da transmissão e das equipes.

Pedrosa, aliás, que foi uma decepção completa. Largou em segundo e chegou em quarto, sem ao menos esboçar uma pressão sobre o trio que ficou à sua frente. Enquanto isso, a Ducati segue seu martírio, tanto com a equipe principal quanto a satélite. Tech3, Gresini e LCR foram bem, enquanto a Aspar passeou sobre as outras CRTs.

Mas voltemos à disputa do "velho" contra o "novo".

Pol Espargaro (40) levou a melhor sobre Scott Redding (45)
na Moto2. (foto: motogp.com)
Não dá para cravar, com precisão, quantas vezes Rossi e Marquez trocaram de posição, tantas as oportunidades que ambos se alternavam na frente. No fim, prevaleceu a experiência do multicampeão da categoria. Mas que ninguém se iluda: o novato, atual campeão da Moto2, vem para a briga.

Já que falamos da Moto2, pensam que acabou? Que nada! Scott Redding e Pol Espargaro desapareceram na frente e se esgoelaram incansavelmente pela vitória. O espanhol da Pons levou a melhor. Porém, a bela prova do inglês da Marc VDS provou que, realmente, ele disputará o título com tantos outros.

Outro destaque foi o japonês Takaaki Nakagami, da Italtrans. Um ódio merecidíssimo pela sua carreira. Outro que estará nas cabeças em 2013. Assim como muita gente. E diferente da MotoGP, não tivemos decepções.

Poderíamos citar Sandro Cortese, campeão da Moto3, que foi apenas o 17º. Mas era óbvio que isso aconteceria no Qatar. O alemão está apenas conhecendo a moto. Quem não se acerta é Axel Pons, o filho do dono da equipe, que caiu sozinho logo no começo da prova.
Luis Salom (39) levou a melhor na Moto3. (foto: motogp.com)

E se na MotoGP e na Moto2 a disputa foi entre duas motos (tirando o salseiro na Moto2, onde houve disputa também do quarto ao décimo, decidida apenas na quadriculada), a Moto3 proporcionou uma disputa pela vitória entre cinco motos!!

Sim! Alex Marquez, Alex Rims, Maverick Viñales, Jonas Folger e Luis Salom, que foi o vencedor. O destaque, no entanto, foi o espanhol da Team Calvo. Viñales fraturou o anelar esquerdo e correu sem um pedaço do dedo. E em nenhum momento fraquejou. Ao final, as câmeras captavam a dor do vice-campeão de 2012, com a mão tremendo.

Mais uma prova de que, se tiver a cabeça no lugar, conquista o título. Talento ele tem de sobra.

Eric Granado sofreu com problemas em sua moto, mas conseguiu o 26º lugar, em sua estreia pela categoria (em 2012 ele correu na Moto2).

Agora, os pilotos rumarão para os Estados Unidos, para a disputa do GP do Texas, no novíssimo circuito de Austin. A Fórmula 1 esteve lá em 2012 e nos brindou com uma prova de alto nível.

Tudo indica que serão assim com as motos também!

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google+ Adicionar ao Tumblr Adicionar ao Linkedin Adicionar ao Blogger Adicionar ao Wordpress Enviar por e-mail Imprimir

Nenhum comentário:

Postar um comentário

OBS: Comentários anônimos serão excluídos. Para inserir o seu nome, basta clicar em "Nome/URL". Não é necessário preencher o campo URL caso não tenha!

No lugar do nome, podem colocar o Twitter, o e-mail ou o site pessoal. Mas não pode ficar anônimo!