Páginas

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Esperança para alguns, medo para a maioria

Vasco 0 x 4 Bahia: acabou o fôlego do time cruzmaltino?
(foto: Celso Pupo / Agência Estado)
Desde que o Brasil adotou o sistema de pontos corridos para o Campeonato Brasileiro, em 2003, que sou contra os estaduais. Pelo menos, da forma como eles são feitos. Porque só atrapalham o calendário e não servem de referência para ninguém.

Um bom exemplo disso é o campeonato deste ano.

Se analisarmos alguns estaduais, chegaremos à conclusão que, no campeonato nacional, o buraco é mais embaixo. Por exemplo, quem imaginaria o Náutico fazendo bons jogos, depois de um primeiro semestre pífio? Ou a Portuguesa em 11º, depois de ser rebaixada no Paulistão?

Mas não vou focar nisso. Quero exemplificar que a última rodada serviu para mostrar algumas coisas que muitos teimavam em esconder.

Começando pelos clubes paulistas. Será um milagre se algum deles conquistar o caneco. "Rodrigo, o São Paulo está em sexto". Esqueçam. A partida contra o Santos mostrou que o time em campo é uma completa bagunça. A ponto de Luis Fabiano perder gols que, em um time ajeitadinho, ele jamais perderia. A zaga continua um lixo e a ausência de alguns jogadores ficou nítida.

E ficou mais visível no Santos. O que todo mundo aplaudiu no fim de 2011 (a permanência de Neymar no clube) hoje virou um fardo pesado para o clube, que dispensou bons jogadores e não contratou como deveria. O resultado é um time sem inspiração para nada. A ponto do lateral esquerdo Léo, um dos mais experientes em atividade no país (e que seria titular em qualquer equipe por aqui) desabafar sobre a zona que se tornou o alvinegro praiano.

Quero saber, somente, de que lado a torcida vai ficar...

Atlético-MG 3 x 0 Palmeiras: o Galo é segundo, mas só
depende de si. Já o alviverde... (foto: Placar)
Sobre os outros dois clubes (Corinthians e Palmeiras), não tenho muita coisa a dizer. Aliás, os problemas já estão visíveis há bastante tempo. O campeão da Libertadores só está mais sossegado porque não corre riscos de cair, pelo menos por enquanto. A vitória contra o Grêmio foi importante. Mas não deve ser encarada como a redenção eterna. Falta muito, ainda, para sonhar com o bicampeonato mundial.

Já o Palmeiras... bom, os 3 a 0 sofridos na lomba diante do Atlético-MG enchem o torcedor de desespero. A campanha é bem pior que a de 2002, e nada leva a crer que dias melhores virão.

Assim como para o Flamengo, que já se assusta com a possibilidade da queda. Três derrotas consecutivas - e sem ver a cor da bola -, falcatruas envolvendo a presidente Patricia Amorim e toda a diretoria, um time medíocre e um técnico que é a andorinha nesse elenco. E pensar que, no primeiro semestre, a equipe estava na Libertadores...

Libertadores que, amém, se tornou realidade para o Botafogo. Com duas vitórias seguidas - e convincentes, o Glorioso chegou à quinta posição e se credenciou para voltar à competição continental que escapou das mãos em 2010 e que não vem desde 1996. Hoje, para conseguir a vaga, basta ultrapassar o Vasco.

Ah, Vasco... e parecia que a saída de Rômulo, Diego Souza e Fágner não enfraqueceriam o time... e não adianta colocar a culpa no técnico. Ele tenta o que é possível diante de um elenco tão frágil. E que a torcida não se esqueça que o vice-campeão de 2011 está a 49 rodadas consecutivas dentro do G-4. Não é pouco.

Internacional 0 x 1 Fluminense: a busca pelo
tetracampeonato é real para o Tricolor carioca
(foto: Ricardo Rimoli / Lancenet)
Também há de se considerar que não é pouco o renascimento do Bahia no campeonato. Nas mãos de Jorginho, a equipe, antes fadada à queda, completou cinco jogos sem perder.

No mais, tudo como esperado. Fluminense e Atlético-MG serão este ano o que Corinthians e Vasco foram em 2011. O título não escapará de nenhum deles. Assim como o Grêmio que, mesmo com a derrota no Pacaembu, na toada que se segue, pode começar a pensar em Libertadores.

A quarta vaga será disputada a tapa, e tem muita gente querendo-a.

Assim como o Z-4, que parece ter mais candidatos do que se pensava. Se Atlético-GO e Figueirense parecem estar condenados, há pelo menos mais seis times que, se não começarem a jogar mais do que estão jogando, poderão conhecer as trilhas esburacadas da Série B.

Ainda restam 15 jogos. E a reação tem que vir agora, para quem precisa reagir. E pensar que muitos desses estavam festejando nos Estaduais...

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google+ Adicionar ao Tumblr Adicionar ao Linkedin Adicionar ao Blogger Adicionar ao Wordpress Enviar por e-mail Imprimir

Nenhum comentário:

Postar um comentário

OBS: Comentários anônimos serão excluídos. Para inserir o seu nome, basta clicar em "Nome/URL". Não é necessário preencher o campo URL caso não tenha!

No lugar do nome, podem colocar o Twitter, o e-mail ou o site pessoal. Mas não pode ficar anônimo!