Páginas

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Tudo de novo

Ronaldinho Gaúcho voltou a jogar bem - e o Atlético-MG se credencia na
busca pelo segundo título nacional (foto: Ramón Bittencourt / Lancenet)
Hoje começa o segundo turno do Brasileirão Petrobras 2012. Até aqui, foram 189 jogos (Atlético-MG x Flamengo foi adiado), com 464 gols marcados, uma média de 2,46 gols por partida.

Se levarmos em consideração o pífio futebol da maioria das equipes, até que a média está boa.

Nesse cenário, alguns números interessante aparecem. O Coritiba, por exemplo. Tem o segundo melhor ataque, atrás apenas do Atlético-MG. Mas é só o 15º colocado, e tem a pior defesa da competição. A melhor defesa, apesar de Gum, Leandro Euzébio e Márcio Rosário, é a do Fluminense, com apenas 11 gols sofridos. Para desespero do Paulo Roberto Jr., do Mesa de Boteco, o time do Abel Braga segue bem na competição, brigando firme com a surpresa mineira. Sim, surpresa, pois ninguém, antes do início da competição, imaginava o Galo brigando pela liderança. Muitos já apontam as duas equipes como garantidas na Libertadores 2013.

Quem parece que perdeu o fôlego e terá um segundo turno sombrio, colocando em risco até mesmo a sua participação na competição continental, é o Vasco que, depois da saída de Fágner e Diego Souza não encontrou o rumo. A zaga, grande trunfo do time cruz-maltino na brilhante campanha de 2011, dá sinais de fragilidade. E aí, a insegurança do goleiro Fernando Prass aparece, com falhas grotescas, que comprometem todo o trabalho do "técnico" Cristóvão Borges. Cadê o Ricardo Gomes nessas horas?.

Cruzeiro e Botafogo poderiam ganhar o prêmio "me engana que eu gosto". Bom, não dá para esperar muita coisa de um time que tem Celso Roth no comando e outro que conta com Fábio Ferreira na zaga. Nem mesmo seus dois meias talentosíssimos (Montillo e Seedorf) parecem capazes de arrumar a casa a curto prazo. O Flamengo, bom... deixemos de lado, o rubronegro está longe de ser um clube faz tempo.

As outras equipes, em geral, estão fazendo o esperado. Até mesmo o Bahia, que se salva por pouco neste instante: o time é horrível e a excessiva troca de técnico só aumenta a crise no campeão de 1988. Grêmio e Internacional estão fazendo o esperado, ou seja, brigando na parte de cima. Quem diria que o Vanderlei Luxemburgo fosse se destacar, depois de tantos vexames recentes?

Talvez pudéssemos apontar Figueirense e Atlético-GO como decepções (pelas boas campanhas de 2011) e Náutico e Ponte Preta como surpresas, pois a grande maioria colocava esses dois clubes, mais a Portuguesa, entre as fortíssimas candidatas à voltarem para a Série B. Não é o que está acontecendo, e mesmo ainda estando na parte de baixo da tabela, o futebol apresentado por estas três equipes deixam evidente que muito time terá que suar a camisa para bate-los.

Assim como está evidente que as outras equipes paulistas precisam melhorar - e muito. Cada uma com seus problemas.

O São Paulo tem uma baita equipe. Muitos dos jogadores seriam titulares em qualquer equipe (menos o Rogério Ceni, que só se garante nas cobranças de falta). Mas a bagunça na diretoria, encabeçada pelo Juvenal Juvêncio (que já deveria ter saído há muito tempo) transformou a outrora equipe imbatível no país em uma equipe comum. A zaga conta com dois ótimos jogadores, Rafael Tolói e Rhodolfo, porém, os dois se atrapalham constantemente e deixam a defesa perdida. Nem o talento de Lucas e o faro de gol de Luis Fabiano foram capazes de fazer o tricampeão mundial terminar o primeiro turno entre os classificados para a Copa Libertadores.

É, Sheik. Você não vai poder perder tanto gol assim em
Yokohama... (foto: Eduardo Viana / Lancenet)
O Corinthians ainda insiste que não. Mas a cabeça está em Yokohama. O problema não é nem o fato de terminar o Brasileirão em uma posição intermediária, e sim, que o time não está jogando nada. A saída de Alex e a falta de um centroavante de verdade fizeram o campeão da Libertadores perder muito em qualidade. A partida contra o São Paulo, domingo passado, mostrou um grave defeito do time: a quantidade monstruosa de gols perdidos preocupa, além de uma certa soberba devido ao início atrapalhado do rival no clássico (se jogasse sério, o Timão faria uns cinco gols só no primeiro tempo). Não dá para perder tanto gol fácil como o time perdeu. Ainda mais pensando que, contra o Chelsea, um erro pode ser fatal.

O Santos é uma incógnita. Com Neymar em seu elenco, a teoria diz que o clube pode voltar à Libertadores. Mas, como já escrevi aqui outro dia, ele sozinho não vai resolver os problemas defensivos e criativos. A novela envolvendo Paulo Henrique Ganso atrapalha demais. E estando apenas na décima posição, a obrigação de vencer jogos a qualquer custo pode pesar de forma negativa.

Mas nada pior do que o Palmeiras. Não há deméritos na conquista da Copa do Brasil. Mas o problema está à mostra: a equipe alviverde possui um time bom para partidas eliminatórias, que ficou provado na conquista deste ano - e pode ser um trunfo para a Libertadores de 2013. Mas falta elenco para aguentar 38 rodadas. A média de aproveitamento de pontos já é pior do que a do trágico ano de 2002. A equipe depende demais de Valdívia e, sendo assim, quando o chileno resolve "dormir" em campo, quem sofre é o centroavante Barcos. Caso o Palmeiras fosse uma equipe redonda - e com um pouquinho mais de qualidade, o atacante agradeceria e poderia ser muito mais destaque do que já é (a contratação dele foi um achado do Palmeiras) e as chances de gol não apareceriam, em sua grande maioria, somente nas cobranças de falta do Marcos Assunção.

O segundo turno promete ser de fortes emoções. Tanto na parte de cima quanto na parte de baixo. Dá para arriscar algo?

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google+ Adicionar ao Tumblr Adicionar ao Linkedin Adicionar ao Blogger Adicionar ao Wordpress Enviar por e-mail Imprimir

Um comentário:

  1. Realmente o primeiro turno do Brasileirão 2012 surpreendeu nos números. A pontuação dos primeiros colocados é melhor que dos anos anteriores. Já o problema do palmeiras é realmente com as lesões e suspensões, o que atrapalha o trabalho do Felipão, que não consegue escalar aquele time campeão da Copa do Brasil e ter uma seqüência de jogos com seus principais jogadores, para poder repetir o futebol apresentado pela equipe na reta final da Copa de Brasil. Acredito que o palmeiras fará um bom segundo turno, mas para isso o Felipão precisa ter uma boa seqüência de jogos com todos os seus principais jogadores a disposição, pois o elenco é bom e provou isso com o Titulo da Copa do Brasil. Mas para a libertadores 2013, é visível que o time precisa de reforços de qualidade e que essa base seja mantida. Aí o Corinthians que se cuide, pois quando o Palmeiras está na libertadores o Corinthians não passa da semifinal... rsrsrs!

    ResponderExcluir

OBS: Comentários anônimos serão excluídos. Para inserir o seu nome, basta clicar em "Nome/URL". Não é necessário preencher o campo URL caso não tenha!

No lugar do nome, podem colocar o Twitter, o e-mail ou o site pessoal. Mas não pode ficar anônimo!