Páginas

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Metade do caminho

Festa corinthiana e vantagem para o jogo de volta
E o que parecia improvável aconteceu: o Santos saiu derrotado pela primeira vez em seus domínios nesta edição da Copa Santander Libertadores.

Foi um placar magro a favor do Corinthians, sim. Mas de extrema importância se analisarmos o equilíbrio entre as duas equipes. Um golpe e tanto para os jogadores santistas e principalmente para a torcida e diretoria, que já dava como certa a vaga na final antes mesmo de entrar em campo.

A história mostra o que acontece com quem pensa assim...

O Corinthians começou dominando, marcou o gol (um golaço de Emerson, diga-se) e depois disso, recuou. O Santos dominou a partir daí, mas não chegou de fato ao gol corinthiano (e nas poucas vezes que levou perigo, esbarrou no goleiro Cássio).

Nem a falta de luz acendeu os atuais vice-campeões mundiais. Neymar, como já havia acontecido contra o Velez Sarsfield e nos amistosos contra México e Argentina, sucumbiu à excelente marcação adversária e sumiu da partida. Paulo Henrique Ganso, mesmo sem estar 100%, jogou bem e foi o responsável pelas melhores chances de gol do Santos.

Mas o dia era do Corinthians. Mesmo com a expulsão de Emerson. Expulsão besta.

No fim, o 1 a 0 a favor garante ao alvinegro do Parque São Jorge a vantagem de jogar pelo empate. O que é uma vantagem e tanto para quem sofreu apenas dois gols na competição (os dois fora de casa). Já o Santos havia marcado gol em todos os seus jogos.

O que só aumenta a expectativa do que vai acontecer no Pacaembu. São Paulo vai parar!

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google+ Adicionar ao Tumblr Adicionar ao Linkedin Adicionar ao Blogger Adicionar ao Wordpress Enviar por e-mail Imprimir

Nenhum comentário:

Postar um comentário

OBS: Comentários anônimos serão excluídos. Para inserir o seu nome, basta clicar em "Nome/URL". Não é necessário preencher o campo URL caso não tenha!

No lugar do nome, podem colocar o Twitter, o e-mail ou o site pessoal. Mas não pode ficar anônimo!