Páginas

sexta-feira, 30 de março de 2012

Explicações do falso testemunho

Quem ouviu o nosso último episódio do Mesa de Boteco (inclusive com os erros – que já se tornaram uma espécie de pré-gravação), com certeza deve ter ouvido e voltado o player na parte em que o nosso utópico botafoguense cita que todos os paulistas têm preconceito contra nordestinos (frase dita após eu dizer que não me importava em saber o nome do clássico pernambucano entre Sport x Náutico – e não me importo mesmo).

Em resposta, óbvio, afirmei que os cariocas não gostam do restante do país. O que não é verdade, é óbvio, mas é compreensível diante da "acusação".

Pois bem, eis que eu recebi um e-mail, de um tal de “justme”. Como o e-mail continha muitos erros de português, preferi não publicá-lo na íntegra, pelo bem do meu blog.

Basicamente, era uma ameaça, dizendo que “ele era carioca sangue bom” e que “os carioca ama (sic) todo mundo e que não tem preconceito com ninguém”. E encerra com um “se vç (sic) naum sabe o que fala fika qieto (sic) e naum fala merda senao tu vai ver (sic)”.

Ao responder a mensagem, descobri que o e-mail tinha sido apagado. Ou seja, um covarde cria um e-mail só pra tentar me ameaçar. Pobre coitado.

E por que eu escrevi tudo isso? Só pra dizer que a tal frase “paulista tem preconceito de nordestino” é totalmente falsa. Nós, paulistas, que moramos no Estado que é o coração, o motor e a locomotiva da América Latina, temos, sim, raiva de QUALQUER UM que saia de sua terra natal para ganhar a vida aqui, ganhar dinheiro aqui e não dar o devido valor a esse Estado maravilhoso e acolhedor (só para constar, São Paulo é o Estado com a maior comunidade japonesa, italiana e holandesa fora dos respectivos países - e a segunda comunidade alemã, atrás apenas de Santa Catarina). E não importa se o imigrante (ou emigrante) é nordestino, carioca, gaúcho, goiano, amapense, marciano… se ganha a vida aqui, tem que ter gratidão eterna ao Estado de São Paulo.

“Ah, Rodrigo, então você vai dar uma bronca nos botequeiros, ou processá-los”? Não. Jamais!!

A frase foi dita na mais pura trollagem. Ninguém sabia que ganharia ares tão vingativos por parte de alguns. Mas ganhou, por isso precisava publicar essa resposta a todos aqueles que ainda acham que existe esse preconceito absurdo, só pela pessoa ser de determinado local. Quem faz isso é americano e espanhol.

No Brasil, não há mais espaço para esse tipo de racismo. As redes sociais ajudam a diminuir a ação desses crápulas, denunciando e processando os preconceituosos, como aconteceu quando a Acadêmicos do Tucuruvi escolheu o Nordeste para o Carnaval 2011. Isso gerou revolta de muitos. Só que o Poder Público foi atrás de cada um dos racistas que postavam as asneiras no Twitter e no Facebook.

Mas que fique claro: o respeito deve ser mútuo. Ou seja, quem imigra para cá (e não só aqui, quem vai para qualquer lugar; o exemplo é paulista porque São Paulo é o estado que recebe o maior número de imigrantes e emigrantes) tem que agradecer, sim, ao acolhimento e à chance de mudar de vida. Disso, ninguém abre mão. Seja ele quem for e independente da origem.

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google+ Adicionar ao Tumblr Adicionar ao Linkedin Adicionar ao Blogger Adicionar ao Wordpress Enviar por e-mail Imprimir

Um comentário:

  1. Olá Rodrigo,

    Boa noite (está escuro) ou bom dia (são 0:43 de 31-03. Bom estou totalmente de acordo com suas palavras, tenho visto e ouvido muita gente criticando nosso estado, porém como foi bem colocado, milhares de pessoas de outros estados vem para cá em busca de vida fácil, dinheiro dando em árvores, empregos aos montes, só que não é bem assim, nosso estado tem muitos problemas como todos os outros e isso parece a febre do ouro. Aqui onde trabalho havia uma médica que está por aqui fazem duas décadas, se formou aqui, tem consultório, trabalha para a Prefeitura de Santos e para o Governo Estadual, ela é carioca, vivia falando maravilhas de seu Rio de Janeiro, porém resolveu ganhar sua vida aqui. Eu fico me perguntando, será que vale a pena ter vivido tanto tempo onde não gosta de acordar, ir trabalhar, aguentar pessoas que não suporta, sim reclama dos paulistas indiscriminadamente, volta para casa que não gosta, dorme na cama que detesta, só não sei se seu marido é paulista, porque se for aí fica difícil, dar pra quem não gosta só prostituta ou mulher interesseira, mas acho um despropósito a pessoa ficar criticando a opinião dos outros. É bem verdade que os outros estados no final se sentem inferiores perante São Paulo, mas se isso aqui se transformou no que é, foi por trabalho árduo, pessoas que procuram trabalhar ao invés de ficarem criticando os outros.
    O Rio por exemplo é o Estado mais oferecido em campanhas publicitárias pelo mundo, porém sua beleza acaba sendo ofuscada por tantos crimes, se não tivesse sido sede do Governo Federal e da burguesia real, Rio de Janeiro seria apenas mais uma cidade. Nosso estado poderia virar um País que nada mudaria para nós, já não podemos falar o mesmo de outros estados que precisam uns dos outros, é por causa de idiotas assim que vivem falando asneiras o tempo todo e que não sabe diferenciar alfinetadas, de brincadeiras, de toques, de bronca, de carinho. É simplesmente a guerra de egos, essa intolerância vem refletindo no futebol, guerra de "tourocidas", isso mesmo parecem uma torcida de touros brigando entre si por causas sem importância onde o placar e o título fica relegado a segundo plano. As pessoas tem usado pequenas "diferenças", seja de região, time, cor de pele, sotaque, religião, preferência sexual, corte de cabelo, etc para cometerem atrocidades sem limites. Nós todos é quem sofremos.

    ResponderExcluir

OBS: Comentários anônimos serão excluídos. Para inserir o seu nome, basta clicar em "Nome/URL". Não é necessário preencher o campo URL caso não tenha!

No lugar do nome, podem colocar o Twitter, o e-mail ou o site pessoal. Mas não pode ficar anônimo!