Páginas

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Garantidas no Domingo!

E o Mundial de Handebol Feminino 2011 já conhece as oito classificadas para as quartas de final. Foram oito jogos que podem ser classificados desde emocionantes até dramáticos, passando por algumas confirmações.

Santos recebeu, portanto, as suas duas últimas partidas na competição.

ANG 30 x 29 KOR: Na primeira delas, a seleção angolana venceu a Coréia do Sul após uma partida de não deixar piscar. A igualdade no placar foi a tona do jogo. Porém, nos cinco minutos finais, as africanas abriram vantagem. No final, as coreanas tentaram reagir. Tarde demais. Angola chega novamente a uma fase de quartas de final, igualando seu melhor desempenho. Festa das jogadoras e de toda a imprensa angolana!


Em seguida, o jogo entre Noruega e Holanda. Antes, a análise da Karianne-Nelly Skuseth, da TV2:


NOR 34 x 22 NED: Em quadra, um confronto absolutamente igual no primeiro tempo deu a falsa impressão de equilíbrio. Ledo engano. No segundo tempo, as campeãs de 1999 trucidaram. Mais uma etapa cumprida, para uma seleção que veio para recuperar o posto de melhor do planeta. E já pensando na próxima adversária (abaixo, entrevistas das jogadoras Linn Jorun Sulland e Heidi Loke e do técnico Thorir Hergeirsson):




Nos outros jogos também teve emoção e teste para cardíaco:

RUS 30 x 19 ISL: Não teve nem graça. Era a estreante sair com a bola e a atual tricampeã marcava gol. O time de Olga Levina impôs seu jogo e dominou de cabo a rabo. Mesmo eliminada, porém, a Islândia deixa uma boa impressão e mostra que pode crescer muito mais.

MTE 19 x 23 ESP: Bem que a última seleção criada após o fim da Iugoslávia tentou. Mas a semifinalista de 2009 fez valer sua superioridade técnica. Vitória e vaga nas quartas. E esperamos que páre por aí. Leiam mais abaixo e entenderão...

FRA 26 x 23 SUE: Durante 50 minutos, as suecas lideraram o placar e davam a sensação de que a campeã de 2003 e atual vice campeã ficaria pelo caminho. Pois é, foi só sensação. Nos últimos 10 minutos, um descontrole emocional totalmente inimaginável fez a França reagir e vencer. Classificação assegurada para, quem sabe, a revanche da final de 2009.

CRO 28 x 27 ROM: Uma partida igual do início ao fim. Quer dizer, quase fim. Kristina Franic chamou o jogo pra si e decidiu de forma brilhante a favor das croatas. Desde 1999, quando chegaram em sexto, elas não avançam tão longe. Quem sabe não vem a surpresa no confronto das quartas, né?

DEN 23 x 22 JPN: Mais uma seleção que perdeu para o nervosismo. O Japão jogou fora duas vezes a sua classificação: no tempo normal, vencia por 19 a 16 até os 28 do segundo tempo, perdeu chances de gol e cedeu o empate. Na prorrogação, sem a concentração necessária, assistiu a um show de Trine Troelsen, que marcou três dos quatro gols que selaram a classificação da campeã de 1997.

BRA 35 x 22 IVC: Desta vez, sem sustos. E chegamos novamente às quartas de final, fato que só havia acontecido em 2003. Mesmo com algum sofrimento e sem apresentar a mesma qualidade da primeira fase (especialmente na defesa, onde mais uma vez, fomos salvas pela goleira Chana), nosso ataque funcionou perfeitamente. O suficiente para as brasileiras encaixarem 20 gols só no segundo tempo, quando a resistência africana havia sucumbido de vez. Ficou a sensação de que o Brasil precisa melhorar. Mas a chance de pódio existe - e é real!

Na quarta-feira (mais conhecida como amanhã) acontecem as partidas das quartas de final, todas no Ibirapuera. Confira:

Rússia x França (11:00)
Angola x Dinamarca (14:30)
Croácia x Noruega (17:15)
Brasil x Espanha (20:00)

E quanto a nós, fica a torcida para ver esta cena mais vezes:

Afinal, mesmo sem ser favorita, jogar em casa é sempre uma vantagem. Vai, Brasil!!!
Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google+ Adicionar ao Tumblr Adicionar ao Linkedin Adicionar ao Blogger Adicionar ao Wordpress Enviar por e-mail Imprimir

Nenhum comentário:

Postar um comentário

OBS: Comentários anônimos serão excluídos. Para inserir o seu nome, basta clicar em "Nome/URL". Não é necessário preencher o campo URL caso não tenha!

No lugar do nome, podem colocar o Twitter, o e-mail ou o site pessoal. Mas não pode ficar anônimo!